Páginas

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O aborto no Brasil em dados

Que o aborto existe todo mundo sabe. Mas qual o perfil das mulheres que o pratica? Quantos abortos são realizados por ano? Quantas mulheres morrem? Quantas sofrem complicações oriundas da prática ilegal?
Segundo dados do Ministério da Saúde, o aborto contribui com 15% da mortalidade materna no país e é a quarta causa de morte materna, ocasionando 3,4 mortes de mulheres a cada 100 mil nascidos vivos. Em 2009, foram realizadas 183,6 mil curetagens – procedimento realizado após aborto espontâneo ou provocado para limpar o útero – no Sistema Único de Saúde. Dentro das razões previstas em lei, foram realizados 1.850 abortos.
Nos últimos 20 anos
As mulheres que optam pelo aborto provocado têm entre 20 e 29 anos, vivem uma união estável, estudaram até oito anos, são trabalhadoras, católicas, com pelo menos um filho e usuárias de métodos contraceptivoscomo mostra relatório coordenado por Debora Dinis e Marilena Corrêa, intitulado 20 Anos de Pesquisas Sobre Aborto no Brasil, financiada pelo Ministério da Saúde, que sistematizou 20 anos de publicações sobre o tema do aborto no país.
Na adolescência, as meninas que praticaram aborto, de acordo com o relatório, estão entre 17 e 19 anos, dependem financeiramente dos pais ou do companheiro, vivem um relacionamento conjugal estabelecido e não planejaram a gravidez. Nos dois grupos, o método mais utilizado para o aborto foi remédio.
No Brasil atual
Pela primeira vez utilizando a coleta direta de dados, a Pesquisa Nacional do Aborto (PNA), realizada por pesquisadores da Universidade de Brasília e pela Anis: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero, chegou a alguns resultados que mostram a situação do aborto no Brasil em 2010.
Uma em cada sete brasileiras entre 18 e 39 anos já abortou. Cerca de 80% delas têm religião, 64% são casadas e 81% são mães. Estima-se que 5,3 milhões já tenham se submetido a algum procedimento abortivo. Dessas mulheres, 55% das mulheres são internadas logo após o aborto.

    terça-feira, 30 de agosto de 2011

    Grito Silencioso

    Este vídeo mostra a verdadeira realidade do que é o "ABORTO".
    Uma crueldade feita com estes pequenos anjos, que deveriam receber amor e muito afeto e não ser torturados como são.
    O ser humano mostra cada dia mais que é um ser cruel e sem coração.
    [Disse Jesus]Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus.Em verdade vos digo que qualquer  que não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.
     ( Marcos 10: 14-15)

    segunda-feira, 29 de agosto de 2011

    Pessoal eu quero postar algo que me incomoda muito que é o "ABORTO".

    Eu acho um absurdo tirar a vida de um inocente que nem sabe o que é um erro pq muitas mulheres inconsequentes chamam estas pobres crianças de erro e então decidem optar por mutila-las arrancar partes de seu corpinhos indefesos envenena-los e esperar que morram lentamente em seus ventres para depois tira-los de seus corpos como se fossem nada.
    Mulheres eles são seres humanos como nós sentem dor sentem medo, e o pior esperam que as mãe os protejam e os defendam da morte prematura,eles sofrem sentem tanta dor muitas vezes mortos depois de nascidos abandonados por ai como se fossem lixo, nós que somos mães sabemos o quato um filho é importante em nossas vidas imaginem vocês se a mãe de vcs tira-se a vida de vcs no ventre dela seria terrivel, vejam a crueldade que é feita com estes anjinhos de Deus





    .: Aborto por operação cesariana.

    Esta bebezinha de 24 semanas foi arrancada do ventre materno mediante uma operação cesariana. É o mesmo procedimento que se emprega nos partos por cesariana, só que neste caso se deixa morrer a criança.



    .: Aborto por envenenamento salino.


    Este bebê de 19 semanas morreu envenenado e queimado por uma solução salina altamente concentrada, que foi introduzida no líquido amniótico da mãe.






    .: Abortos por sucção.

    Este bebê de 8 semanas foi assassinado mediante um aspirador potente que o destroçou completamente.



    Neste outro aborto por sucção de um bebê de 10 semanas, é possível ver s eus pequenos membros destroçados nitidamente , logo após passar pelo tubo do aspirador.








    .: Aborto por dilatação e curetagem.

    Este bebê foi destroçado com uma faca afiada e com curva (cureta), enquanto se encontrava no ventre materno. A enfermeira deve juntar as partes do bebê, para ter a certeza de que foi totalmente extraído.






    Quando os pés do bebê estão fora do útero, o abortista os agarra com as suas mãos e os puxa, como se tratasse de um parto natural, mas se assegurando de que saia pelos pés.
    .







    Quando o bebê tem o corpo fora, mas a sua cabeça ainda está dentro do ventre materno, o abortista atravessa a sua nuca com uma tesoura.



    O crime culmina quando o abortista, mediante uma sonda, succiona a massa encefálica do bebê , que durante todo o processo esteve agitando o seu pequeno corpo , para tentar inutilmente se defender.



    sexta-feira, 26 de agosto de 2011

    Continuação sobre cólicas no bebê

    Dicas de autocuidado

    Fique calma. Tente relaxar. É difícil lidar com um bebê chorando. Nenhuma das dicas abaixo irá curar a cólica, mas elas podem ajudar.

    Certifique-se de que o bebê esteja recebendo comida suficiente. Ele pode apenas estar com fome.
    Experimente diferentes bicos de mamadeira. Aumente o tamanho do buraco, se este for pequeno. Corte perpendicularmente ao buraco já existente. (Você fará um buraco em forma de x). veja abaixo como descobrir se o buraco esta muito pequeno:
    Coloque leite frio na mamadeira.
    Vire a mamadeira de cabeça para baixo e sacuda-a ou aperte-a.
    Conte as gotas de leite que caem. Deve cair 1 gota a cada segundo. Se as gotas saírem mais devagar, é porque o buraco está muito pequeno.
    Segure a criança em pé ou sentada para alimentá-la continue segurando a criança assim por algum tempo após ela terminar de comer.
    Faça a criança arrotar depois de cada tomada de leite. Se estiver amamentando, faça-a arrotar também, entre um seio e outro.
    Use uma chupeta mas nunca coloque a chupeta em uma corrente em volta do pescoço da criança.
    Deite a criança apoiando o estômago dela ao longo do seu braço. Coloque o rosto do bebê na sua mão e deixe que as suas pernas cavalguem no seu braço. Segure as costas do bebê com o seu outro braço para evitar que ele caia. Caminhe com a criança nesta posição por algum tempo.
    Coloque uma música suave. Isto poderá ajudar a acalmar você e o bebê.
    Leve seu bebê para passear fora de casa em um carrinho.
    Não de antiácidos ou gotas de dimeticona para o bebê a menos que o médico recomende.
    Deixe a criança chorar até dormir se mais nada ajudar. Mas chame o médico se o bebê chorar por mais de 4 horas.
    Peça para outra pessoa cuidar do bebê se você ficar muito estressada. Descanse um pouco.
    Coloque uma bolsa térmica (calor baixo) ou bolsa de água quente sobre a barriga do bebê. Coloque sobre a roupa e verifique se a temperatura da água não está muito alta, para não queimar o bebê.



    IMPORTANTE
    Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.
    As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.

    Cólicas do bebê


    Quando o bebê chora sem parar sem razão aparente, pode ser por cólica. O bebê pode dobrar os joelho em direção ao estômago geralmente as cólicas aparecem no final do dia. Para os pais e muito difícil lidar com as cólicas.
    Nada parece ajudar quando o bebê tem cólica - parar de alimentar, trocar a fralda ou carregar no colo. Mais não se preocupe. A cólica dificilmente é perigosa e não dura muito tempo. As cólicas geralmente aparecem quando o bebê tem aproximadamente 2 semanas de vida. São mais intensas em torno dos 3 meses de idade. Geralmente desaparecem quando o bebê tem em torno de 4 meses de idade.
    Causas
    A cólica em bebês pode ser causada por:
    • Reflexo gastrocólico exacerbado, o que desaparece com a idade.
    • O bebê não consegue fazer digestão da comida.
    • O bebê tem alergia algum componente da comida.
    • O bebê tem gás (ar) no estômago.
    • O bebê não dorme o suficiente.
    • Barulhos na casa incomoda o bebê.
    Quando passa a cólica, o bebê pode eliminar gases ou estar com a fralda cheia.
    Algumas vezes, o bebê com cólicas tem um problema maior. Pode haver alguma coisa bloqueando o intestino, impedindo a passagem das fezes. O médico poderá examinar o bebê e realizar alguns exames para detectar este e outros possíveis problemas.
    Prevenção
    • Mantenha a criança sentada ao alimentá-la. Dessa maneira a criança engolira menos ar.
    • Se você está amamentando tente estas dicas:
      • Evite beber refrigerante, café, chá e chocolate.
      • Pare de comer alimentos que tenham leite por 1 semana a cólica do bebê poderá desaparecer (converse com o seu médico antes de adotar essa medida. Ele poderá querer que você faça uma complementação de cálcio).
    • Não faça o leite do bebê muito quente.
    • Verifique o bico da mamadeira.Se o buraco for muito pequeno o bebê engolira ar.
    • Procure manter o ambiente calmo e quieto enquanto alimenta ou amamenta o bebê.
    • Faça a criança arrotar com maior frequência.


    A criança de 2 anos e 9-10 meses


    Desenvolvimento físico: ainda os dentes...

    Os últimos dentes-de-leite, quatro segundos molares, geralmente aparecem entre os 2 e quase 3 anos, e sua chegada costuma ser bastante dolorida devido ao tamanho maior e ao "estrago" para irromper a gengiva. Às vezes a criança fica até febril e volta a acordar no meio da noite, depois de já ter superado essa fase.

    Felizmente, a dor não dura mais que um ou dois dias para cada dente. Enquanto o incômodo não passa, é possível que seu filho queira morder ou chupar alguma coisa em busca de alívio, então tenha à disposição mordedores gelados ou até uma toalhinha úmida congelada ou quente (não excessivamente).

    Se os sintomas estiverem muito ruins, converse com seu pediatra sobre o uso de alguma pomada tópica para ajudar. Felizmente, na maioria das crianças a fase chata passa logo.

    Peso e altura

    Com a aproximação dos 3 anos, o corpo da maioria das crianças já não tem mais aquela aparência gordinha e o tronco fica mais longilíneo, "fininho". Com isso, dá para saber se o peso do seu filho está adequado? Provavelmente, o pediatra terá como mostrar a você uma tabela ou um gráfico com o progresso do peso e da altura ao longo dos anos e comparado à média das outras crianças. Outro fator que levará em conta é a herança genética da família.

    Mesmo assim ainda é cedo para se preocupar demais com excesso ou falta de gordura. Uma criança gordinha ou magrinha não necessariamente indica que tipo de corpo terá quando adulta. O mais importante é se certificar que a alimentação do seu filho seja saudável e variada e que ele tenha oportunidade de correr e brincar bastante.

    É verdade que, dada a crescente taxa de obesidade infantil no mundo, mesmo em países antes mais marcados pela desnutrição, como o Brasil, os médicos têm buscado identificar cada vez mais cedo crianças em risco e realizar intervenções no estilo de vida para evitar o ganho de peso além da conta.

    Um dos vilões do sobrepeso nesta idade geralmente é o acesso irrestrito a leite, sucos e refrigerantes. Crianças de 2 anos não precisam de mais que 500 ml de leite e 250 ml de suco (de preferência natural) por dia -- e, quanto aos refrigerantes, eles não trazem nenhum benefício à saúde.

    Doces e salgadinhos também têm de ser limitados. Além de contribuir para o aumento de peso, acabam "deseducando" a criança em termos alimentares.

    Desenvolvimento emocional e social: medos

    Uma imaginação fértil, marco de crianças desta idade, é terreno ideal para criar monstros, fantasmas, dragões e outras criaturas misteriosas que costumam aparecer na calada da noite. O medo do escuro é também comum de ocorrer quando a mente de uma criança se torna capaz de inventar suas próprias histórias. Dá pena de ver seu filho tão assustado, mas saiba que esses medos são na verdade sinal de um sofisticado desenvolvimento cognitivo.

    Procure acalmá-lo sem fazer pouco do que ele está sentindo ou contando. Não há nenhuma lógica, então embarque na fantasia dele e vá para o quarto em busca de algum objeto real que possa estar fomentando o medo. Às vezes uma sombra esquisita fica com cara de monstro e uma pequena fonte de luz no quarto ou corredor já resolve o problema.

    Além de muito carinho e atenção, uma boa rotina da hora do sono ajudará seu filho a se desligar mais facilmente de todas as emoções do dia.

    Quem manda aqui sou eu!

    De repente, junto com todas aquelas novas palavras tão engraçadinhas pode aparecer também um novo traço de personalidade: a criança mandona! "Limpa aqui, mamãe!" ou "Papai, senta" são frases típicas.

    A criança tem a percepção de que é o centro do universo, então nada mais natural do que acreditar que todos vivem em função dela. Embora não dê para argumentar contra isso neste momento, você pode e deve mostrar como é o jeito educado de tratar as pessoas, sempre incentivando seu filho a dizer "por favor", em um tom de voz gentil, quando quer alguma coisa.

    Em algumas circunstâncias, tais atitudes servem mais como tentativas de obter atenção. Pode ser que uma exigência seja só uma maneira de indicar que ele quer ser ouvido ou quer que alguém brinque com ele naquele instante. De novo vale a ocasião para ensinar boas maneiras e para explicar que nem sempre você pode atendê-lo imediatamente, mas que o fará assim que possível (e faça!).

    Desenvolvimento da linguagem: palavras ofensivas e palavrões

    Você nem se cabia de tanto orgulho pelas gracinhas que seu filho vinha falando até que um belo dia ouviu uma coisa chocante: ele chamou você de burra! Pense bem, era inevitável que isso acontecesse, já que ele está cercado por adultos que xingam no trânsito, irmãos e colegas mais velhos trocando insultos e programas de TV não necessariamente indicados para a sua faixa etária. Além disso, quando chama alguém de "cabeça-de-cocô", acaba provocando risadas na família.

    O jeito mais rápido de acabar com esse tipo de linguagem é ignorá-la. Se você ficar muito brava, vai acabar mostrando como certas palavras são poderosas e só levando-o a repeti-las sem parar. E prepare-se também, porque às vezes antes de a palavra morrer de vez ela vai ser falada mais do que nunca!

         

    quinta-feira, 25 de agosto de 2011

    Para Refletir...

    video
    Este vídeo nos mostra que se entregarmos tudo nas mãos do Senhor ele faz o milagre acontecer.
      "Eis que os filhos são herança do Senhor e o fruto do ventre o seu galardão." Salmos: 127